Oi gente, 
tudo bem? Faz tempão que não apareço por aqui, mas "I'm back again". O ano começou e tem muita novidade para comentar, mas muita coisa para lutar também. Ano retrasado - meados de junho/2016 - escrevi uma matéria séria chamada "Mulheres Gamers? Yes, we can!", eu escrevi porque já sofri muito bullying jogando e aproveitei os estudos que foram realizados na época para dissertar sobre o assunto. Infelizmente já usei contas de amigos pra ter "paz" e não ter que escutar que meu lugar era na cozinha ou que era uma prostituta por ter errado um tiro, entre outros tipos de assédio - lamentavelmente há casos que as jogadoras são perseguidas na vida real. Voltei porque infelizmente ainda é uma realidade trágica para muitas de nós, e graças a ONG Wonder Women Tech foi criada uma campanha denominada "#MyGameMyName : O fim do assédio começa agora", essa iniciativa visa combater o assédio contra as mulheres gamers, incentivando para não nos escondermos em nicks masculinos, e a denunciarmos os assediadores. A ONG desafiou Youtubers para fazerem um experimento de jogar com contas femininas, eles gravaram, e sentiram na pele o que muitas de nós ainda passamos. 

(FOTO: REPRODUÇÃO/MYGAMEMYNAME)

Lisa Mae Brunson, da Wonder Women Tech afirmou em anúncio: "Não é justo que uma menina esconda sua própria identidade só porque algumas pessoas não sabem como se comportar quando jogam com uma garota ou mulher. Então, nos perguntamos: por que a indústria possui ferramentas para evitar trapaças e pirataria, mas não toma medidas eficazes sobre assédio sexual e bullying?. Grandes problemas demandam grandes esforços. Não é uma tarefa fácil, por isso estamos recrutando os maiores gamers e influenciadores para participar dessa iniciativa e juntos começarmos a mudar o jogo." 



"Every day millions of girls suffer sexual harassment and bullying when playing games online. A lot of them hide behind male nicknames to avoid this issue. So we’ve started a movement to change this game. Join us and help us spread this movement. #MyGameMyName" (Todos os dias milhões de meninas sofrem assédio sexual e bullying ao jogar jogos online. Muitos deles se escondem atrás de apelidos masculinos para evitar esse problema. Então iniciamos um movimento para mudar esse jogo. Junte-se a nós e ajude-nos a espalhar esse movimento. #MyGameMyName).

Entre no site para mais informações, e participe da campanha com #MyGameMyName.
Wonder Women TechTeaser da campanha

Veja os vídeos dos youtubers brasileiros:

Nicole Mehry (Cherry Gumms): "Você é vagabunda! Rosinha!"
Kim Patriota (Patriota): Me passei por mulher na play! #MyGameMyName



Se ponha no lugar da outra pessoa, afinal poderia ser sua irmã, prima, namorada, esposa ou mãe. Respeite e reflita.

Até mais, 
Ass.: Laura Myrella - Limão.


Deixe um comentário